Governo gaúcho libera R$ 175 milhões do Governo Federal,para hospitais

O Rio Grande do Sul confirmou nesta quinta-feira (4/6) o recebimento da segunda parcela do auxílio financeiro federal destinado às santas casas e aos hospitais filantrópicos para atuação no enfrentamento à pandemia Covid-19.

primeira parcela foi de R$ 49,4 milhões. Agora, o Estado e os municípios gaúchos com gestão plena receberão mais R$ 175,4 milhões, totalizando R$ 224,8 milhões e 235 hospitais beneficiados.

“Quero agradecer à parceria do Ministério da Saúde, que está viabilizando esses recursos tão importantes para os hospitais do Rio Grande do Sul. Os valores ajudarão a fortalecer a nossa rede de atendimento, que já tem dado respostas muito positivas no combate ao coronavírus”, destacou o governador Eduardo Leite ao anunciar os repasses na transmissão pelas redes sociais desta quinta-feira (4/6).

Deste valor da segunda parcela, R$ 92,9 milhões são para o Estado, contemplando 158 hospitais filantrópicos e santas casas. Por exemplo, o Hospital São Vicente de Paulo, localizado em Passo Fundo, que é um dos municípios com mais casos confirmados de coronavírus do Rio Grande do Sul, receberá quase R$ 5,7 milhões.

Abraham Weintraub leva depoimento escrito à Polícia Federal

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, compareceu à sede da Polícia Federal na tarde desta quinta-feira para prestar depoimento sobre a acusação de racismo em uma manifestação sobre chineses, mas se negou a responder às perguntas da PF e entregou suas declarações por escrito.

O inquérito tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), sob relatoria do ministro Celso de Mello, e foi aberto a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). A defesa tentou suspender junto ao STF a realização do depoimento, mas não obteve sucesso. Com isso, Weintraub teve que comparecer pessoalmente à PF hoje.

Sai Medida Provisória que libera recursos a estados

O  presidente Jair Bolsonaro editou, na noite desta quinta-feira, medida provisória (MP) que abre crédito de R$ 60 bilhões no Orçamento deste ano para transferir aos governos regionais.

A MP ainda não significa que a primeira das quatro parcelas vai cair imediatamente na conta dos governos regionais. A previsão do Ministério da Economia é que isso só ocorra no dia 9. “A edição dessa MP é um dos procedimentos necessários ao pagamento e está dentro do prazo estimado”, informou a pasta.