Investigação sobre propina da Oi para Lulinha, filho de Lula, está parada em São Paulo

A investigação sobre os pagamentos milionários da Oi/Telemar para empresas ligadas a Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha, está parada desde abril . A investigação foi enviada para São Paulo após decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Trata-se da operação Mapa de Mina, ação da Polícia Federal de Curitiba deflagrada em dezembro … Ler mais Investigação sobre propina da Oi para Lulinha, filho de Lula, está parada em São Paulo

Brasil e EUA alinhados na oposição ao governo narcotraficante de Nicolás Maduro

O Secretário de estado americano, Mike Pompeo, visitou na sexta-feira  a cidade de Boa Vista, Roraima. Ele conheceu as instalações da operação Acolhida, onde refugiados venezuelanos são identificados e transferidos para abrigos, que são administrados pelo exército brasileiro e por uma agência da ONU. Ele ficou quase 4 horas no Brasil e também se reuniu … Ler mais Brasil e EUA alinhados na oposição ao governo narcotraficante de Nicolás Maduro

Chapa Lula e Renan em 2022 apenas aguarda que STF anule os processos contra os dois!

A esperança de Lula, condenado há mais de 30 anos em regime fechado, mas em liberdade graças ao STF, é que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, com votos de Gilmar Mendes e Ricardo Lewandoswki, anule até o final de outubro os seus processos. e os processos de Renan Calheiros. Com isso, seria possivel … Ler mais Chapa Lula e Renan em 2022 apenas aguarda que STF anule os processos contra os dois!

STF proibe operações policiais nas favelas do Rio. Tráfico toma conta e mantém população sob ameaça.

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), proibiu em decisão liminar (provisória) a realização de operações policiais em comunidades do Rio durante a pandemia do novo coronavírus.

O texto prevê responsabilização civil e criminal em caso de descumprimento. A decisão de Fachin permite operações somente em “hipóteses absolutamente excepcionais”, sem exemplificar quais seriam.

Jair Bolsonaro acertou ao defender tratamento precoce? Especialistas agora dizem que Sim!

O secretário estadual da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, num balanço das ações voltadas ao enfrentamento do novo coronavírus, admitiu em entrevista coletiva, que houve um erro inicial no enfrentamento ao Covid-19:

“Eu acho que o mundo inteiro pautou uma coisa chamada ‘não vá ao hospital, espere ter falta de ar’, e a gente viu no decorrer da evolução, acho que o mundo errou, o CDC errou, a OMS errou. É preciso que se diga claramente”, apontou.

O secretário afirmou que, ao longo da pandemia, “o atendimento precoce provou ser eficaz no melhoramento da condição clínica do paciente”.

“A gente viu que, quando esse doente chega mais precoce, você melhora a qualidade da estratificação do risco, melhora o resultado do tratamento. Acho que essa forma de comunicar poderia ter sido melhor”, avaliou.

Vidas teriam sido salvas

Ao tomar conhecimento da entrevista do médico Carlos Roberto Martins, especialista e secretário da Saúde do Ceará, o presidente Jair Bolsonaro comentou:

“Dezenas de milhares de vidas poderiam ter sido salvas se essas pessoas tivessem humildade, e reconhecessem que é o médico quem receita o que deve ser prescrito ao paciente (Hidroxicloroquina ou outro medicamento).”

Celso de Mello faz 75 anos dia 31 de outubro e abre vaga para Bolsonaro nomear novo ministro do STF

Ele está em licença de saúde, mas mesmo assim quer marcar o final da sua carreira no STF com medidas de hostilidade ao governo federal e ao presidente Jair Bolsonaro. Este é Celso de Mello, prestes a vestir pijama, vai para a disputa da medalha de pior ministro do Supremo Tribunal Federal. O troféu de Pior ministro é uma disputa difícil, levando-se em conta a atual composição do STF.

Nomeado por Sarney

Com sérios problemas de saúde, Celso de Mello, o mais antigo integrante do tribunal, completa 75 anos no dia 31 de outubro, e automaticamente deixa o STF. Nomeado pelo presidente José Sarney em 1989 para o cargo, foi indicado por seu padrinho, o saudoso jurista Saulo Ramos, que antes de morrer, fez a mais dura crítica ao afilhado, chamando-o em seu livro de memórias, O Código da Vida (pág. 170), de “juiz de m…”.

Ministra Damares revoga pensão paga a anistiados políticos

A  ministra Damares Alves, responsável pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, anulou a declaração de anistia política de cerca de 300 pessoas. As anulações foram publicadas no Diário Oficial da União.

Nas portarias, a ministra justifica a anulação pela suposta “ausência de comprovação da existência de perseguição exclusivamente política no ato concessivo”. Além disso, assegura a não devolução das verbas indenizatórias já recebidas.

Os casos tratam dos cabos da Aeronáutica. Entidades de anistiados em Brasília conferiram a nominata e apontaram que, até o momento, não há civis na relação, apenas foram identificados cabos da FAB.

Em outubro de 2019, o Plenário do Supremo Tribunal Federal entendeu que a administração pública pode rever a anistia a ex-militares, devendo ser respeitado o devido processo legal. Também foi fixado que a União não pode pedir a devolução das verbas já percebidas.

Lava-Jato segue viva,e denuncia Lula por propina de R$ 4 milhões para o Instituto Lula

A Operação Lava Jato continua bem viva. A força-tarefa apresentou nesta segunda-feira (14) uma nova denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na ação, o petista, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, são investigados pela suposta lavagem de R$ 4 milhões entre dezembro de 2013 e março de 2014.
“São centenas de provas, de comunicações a planilhas e comprovantes de pagamento que ligam a doação formal de altos valores a possíveis ilícitos praticados anteriormente”, pontua o procurador da República Alessandro Oliveira, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Mourão diz que trabalha para ser vice de Bolsonaro em 2022

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense,o vice-presidente Hamilton Mourão comentou que gostaria de continuar no governo porque isso seria uma forma de prolongar a tarefa de “assentar as bases para que o Brasil tenha um futuro melhor”. “Se a gente conseguir terminar todas as reformas que têm de ser feitas de forma que a gente livre o País de toda essa carga que tem de ser retirada, de excesso de tributação, de questão administrativa, que custam muito à Nação… A gente conseguindo fazer tudo isso, deixaria o País num rumo com políticas de Estado bem traçadas.”
De outro modo, Mourão comentou que se Bolsonaro escolher outra pessoa para compor a chapa com ele em 2022, “isso compete a ele”. “Não vou sair chorando, de beicinho. Não é assim que funciona. Se ele quiser escolher (outra pessoa), é Brasil. Vamos em frente.”

Rio Grande do Sul agora tem Sete regiões em bandeira vermelha

Na semana em que o Estado completa seis meses desde a notificação do primeiro caso de coronavírus, em 10 de março, o modelo de Distanciamento Controlado chega à 19ª rodada. O mapa preliminar traz sete regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto para Covid-19). As outras 14 regiões estão em bandeira laranja (risco epidemiológico médio).

Confira o mapa no site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.

Além de Porto Alegre, Erechim e Palmeira das Missões – três regiões que já estavam em bandeira vermelha e se mantiveram nesta rodada –, os indicadores apontaram piora em outras quatro regiões. Santa Maria, Guaíba, Passo Fundo e Caxias do Sul completam as sete regiões classificadas em vermelho neste mapa preliminar.

Em todo o Rio Grande do Sul, houve queda em alguns indicadores, como hospitalizações (-7%) e internados em leitos clínicos (-14%). Ocorreu também estabilização no número de leitos livres.

Compadre de Lula,e seu genro Zanin, alvos de Operação da PF no Rio para apurar corrupção na Fecomércio

Chegou a nada menos que RS 83 milhões o contrato firmado pela Fecomércio do Rio de Janeiro,com o jovem advogado Eduardo Martins, para “influenciar decisões de ministros do STJ”. O detalhe é que o jovem advogado, é filho do atual presidente do Superior Tribunal de Justiça), ministro Humberto Martins. O advogado foi um dos alvos da força-tarefa da Lava Jato fluminense ontem. Após denúncia recebida pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, os procuradores da Lava Jato pediram providencias,e ontem quando a PF foi no escritório de Eduardo Martins , encontrou R$ 100 mil em dinheiro vivo e um cheque de R$ 700 mil. O que se investiga é o suposto esquema que teria desviado pelo menos R$150 milhões, segundo estima a força-tarefa, do chamado ‘Sistema S’ fluminense (no caso, Sesc e Senac) e da Federação do Comércio (Fecomércio/RJ) entre os anos de 2012 e 2018. Frederick Wassef, que foi advogado da família Bolsonaro, também foi alvo da operação por ter seu nome vinculado a processos da Fecomércio.

Sogro e advogado de Lula
Esta operação da Polícia Federal mirou os advogados Cristiano Zanin e Roberto Teixeira, defensores de Lula, que dividiam com o então presidente da Federação do Comércio a liderança da organização criminosa. Os três se tornaram réus no caso, ao lado de outros 23 denunciados, por decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7a Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Como funciona o STF: o ex-guerrilheiro José Serra é amigo íntimo de Gilmar Mendes; o senador Flavio Bolsonaro não tem amigos no STF.

“Quem tem amigo não morre pagão”, diz o velho ditado.  E, o tempo se encarregou de mostrar que no STF onde ninguém se dá por impedido para julgar amigos, isso é verdadeiro. O STF suspendeu todas as investigações contra o Senador José Serra e manteve procedimentos semelhantes contra o senador Flávio Bolsonaro, examinando casos anteriores ao atual mandato de ambos. Sabe-se agora, que há um motivo forte para Serra ter sido blindado até aqui: o surgimento de e-mails contendo conversas íntimas do ministro Gilmar Mendes com o senador José Serra, denunciado pelo ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis de receber em nome do PSDB, um total de R$ 52,4 milhões, entre 2002 e 2004. Serra é um ex-guerrilheiro,e um senador que encerra a vida pública, milionário.

Gilmar Mendes, mesmo suspeito, julgou e beneficiou o amigo Serra

O caso da amizade íntima de Gilmar Mendes com José Serra é tão explosivo, que no dia 29 de julho, o ministro Dias Toffoli suspendeu duas investigações sobre José Serra e determinou que todo o material colhido pelos procuradores contendo s conversas íntimas de Gilmar Mendes com o senador José Serra fosse lacrado e protegido de vazamentos. O fato gravíssimo em tudo isso é que, mesmo sendo suspeito para julgar o caso envolvendo o amigo íntimo José Serra, Gilmar Mendes, já beneficiou o Senador no STF duas vezes nas últimas semanas.