Governo do RS distribui respiradores para hospitais

Um grupo de 17 hospitais do Rio Grande do Sul já recebeu 61 respiradores distribuídos pela Secretaria da Saúde (SES). Os equipamentos integram um lote de cem unidades enviadas pelo Ministério da Saúde, e as entregas ocorrem no Setor de Suprimentos da SES, em Porto Alegre.

O material é destinado para deslocamento e atendimento em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) de pacientes com casos graves de Covid-19.

No total, o Estado recebeu 35 respiradores para utilização durante transporte de pacientes e 65 para instalação em UTI. Os equipamentos contemplarão 38 hospitais. A iniciativa é um reforço e suporte à rede hospitalar do Rio Grande do Sul no enfrentamento à pandemia do coronavírus.

Governo gaúcho esclarece negociações com o grupo Mercado Livre

O governo do Estado foi informado nesta quarta-feira (24/6) que a Mercado Livre não prosseguirá com a abertura de um Centro de Distribuição na cidade de Gravataí, decisão anunciada publicamente pela empresa em 2019.

A Secretaria da Fazenda recebeu e analisou tecnicamente as solicitações protocoladas, tendo o diálogo com os representantes da empresa sido permanente, cordial e construtivo.

As negociações foram realizadas até a terça-feira (23/6), sendo que, na semana passada, embora houvesse manifestações sobre a desistência da empresa, o governo do Estado mantinha as tratativas iniciadas em 2019, que passaram por diferentes etapas, como é natural nesses casos.

A empresa Mercado Envios, do Grupo Mercado Livre, protocolou em 2019 solicitação para concessão de Regime Especial para realização de operação de logística completa (Fulfillment). A regulamentação do Estado de São Paulo, então existente, foi utilizada como referência inicial, pelo fato de ser onde estão situados os centros da empresa, em linha com compromisso assumido com o grupo.

A equipe técnica da Receita Estadual sempre manteve o compromisso de buscar uma solução técnica simples. O encaminhamento de medida legislativa para a Assembleia não se mostrava necessário por tratar-se de Regimes Especiais de tributação, relacionados tipicamente apenas às questões acessórias de fluxos de notas e cadastros de empresas.

A Receita Estadual elaborou um Regime Especial para a empresa, superando, a nosso juízo, todas as dificuldades iniciais e que viabilizariam este novo modelo de negócio em franca expansão. O detalhamento dos pontos em discussão esbarra no necessário sigilo das discussões comerciais com a empresa, devendo ser preservados aspectos que possam expor os planos do grupo e prejudicar o ambiente de negócios no Estado.

A decisão da empresa não afeta as atividades já mantidas por ela no Rio Grande do Sul, que seguem em operação, inclusive com o anúncio de promover uma expansão de negócios no Estado, o que reforça a qualidade dos contatos feitos ao longo desse tempo.

O governo do Estado reitera que desde o início das negociações prezou pelo interesse dos cidadãos gaúchos e buscou garantir as condições para que a empresa ampliasse seus negócios já existentes no Estado com a instalação do Centro de Distribuição em Gravataí. Também respeita a decisão da empresa, soberana nas suas estratégias de negócios realizados no Brasil, permanecendo aberto para retomar as negociações a qualquer momento.

Sara Winter pede suspeição de Alexandre de Moraes

Deu entrada no Supremo Tribunal Federal, pedido dos advogados da presa política Sara Winter , para que o STF impeça Alexandre de Moraes de investigá-la e de julgá-la.
Ela também pediu que todos os atos do ministro contra ela sejam anulados. A alegação apresentada pelos seus advogados,sustenta que existe a suspeição e o impedimento de Alexandre Moraes para conduzir casos da militante.
Sara é investigada no inquérito das fake news e no inquérito do STF sobre o financiamento a ataques aos ministros do Supremo e a atos antidemocráticos. Ambos são de relatoria do ministro Alexandre de Moraes.