A mulher de César e os odores do lixo em Pelotas

lixo napoles

Em tempos de Lava Jato, circulam hoje em Pelotas indícios – por ora, meros indícios, é bem verdade – de crime que podem provocar arranhões na candidatura de Eduardo Leite ao governo do Estado. Quem conheceu Bernardo de Souza sabe que, se ele estivesse vivo, não permitiria que esse imbróglio prosperasse. Lá estão seus herdeiros políticos, na gestão anterior e na atual.

Em política, tudo que tem que ser explicado não é bom. E o caso merece muitas explicações. Durante a longa e exemplar carreira de Bernardo, nunca, jamais, prosperou qualquer tipo de informação que jogasse dúvidas sobre a lisura de suas ações na esfera pública.

À prefeita Paula Schild Mascarenhas, gestora séria, recomenda-se agir como a mulher de Cesar: não basta ser honesta, tem que parecer honesta. Deve conferir de perto, com lupa, o que ocorre nos porões do Executivo, nos escalões inferiores da administração. Pode estar havendo incúria administrativa. É uma possibilidade que não pode ser descartada.

Basta ver que já tem pedido de CPI e que um vereador denuncia tentativa de suborno. Mais, já se fala em perdas estratosféricas para o erário.

Pode ter sido aqui, na questão da chamada licitação do lixo,  tudo correto do ponto de vista legal. Mas da forma como está colocado o caso, sem transparência, abre margem para um questionamento do seu aspecto moral.

Basta um número publicado  pela Imprensa local. Pelotas está jogando literalmente na lata do lixo algo que pode ficar acima de R$ 100 milhões.

Tem cheiro de corrupção, há denúncias de corrupção, notou-se um esforço visível do Sanep de acelerar o processo. Fica a impressão de que há tropelias no Sanep, enquanto a prefeita faz demorada assepsia, lava as mãos como Pilatos. E para piorar o cenário,quem coordena a ação deletéria, é um conhecido tesoureiro de campanha.

A prefeitura abre mão, sem pruridos, de empregos, impostos, energia verde, e a atração de tecnologias mais avançada nesta área no Brasil?

Difícil de acreditar.

O Blog de Flavio Pereira