Ministério Público diz que não há ilícitos nas provas contra padre Robson

O MP definiu como “atípica” a decisão da Justiça em arquivar o processo de apropriação indébita e lavagem de capitais contra o padre Robson de Oliveira Pereira.
Agora, o Ministério Público de Goiás definiu como “atípica” a decisão da Justiça em arquivar o processo de apropriação indébita e lavagem de capitais contra o padre Robson de Oliveira Pereira. Ainda nesta quarta-feira (7/10), o órgão já havia informado que iria recorrer do trancamento da denúncia, a qual acusa o pároco de lavar dinheiro por meio da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), com sede em Trindade (GO). A decisão de arquivamento da denúncia ocorreu na terça-feira (6), após sessão remota da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), em Goiânia.

Deixar uma resposta