LEWANDOSKI DEFENDE QUE TODOS OS PRESOS EM SEGUNDA INSTANCIA SEJAM SOLTOS

Persistente na sua tese, o ministro do STF Ricardo Lewandowski, na última sessão como presidente da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), votou contra a automática execução de sentença após confirmação de condenação em segunda instância. A relatora, ministra Cármen Lúcia, porém, segurou a euforia de Lewandoswski e sugeriu que o tema seja apreciado pelo plenário antes de qualquer efeito. Lewandoswski só deixará o STF em 2023,quando completa a idade limite de 75 anos para integrar a Côrte.

Deixar uma resposta