ONU CONSIDERA QUE MÉDICOS CUBANOS EXECUTAM “TRABALHO FORÇADO” ANÁLOGO À ESCRAVIDÃO.

A posição é oficial da ONU, a Organização das Nações Unidas. A organização, ao verificar que os profissionais cubanos anunciados pelo pais como médicos,mas sem submeter-se a testes que comprovem conhecimentos médicos, classificou as missões destes supostos médicos cubanos em outros países, como o extinto Mais Médicos, como “trabalho forçado”, informa.

A ONU considerou o fato de que Cuba obriga os médicos cubanos,a deixarem os familiares no país,como forma de dissuadir qualquer tentativa de desertarem.

Trata-se de uma resposta à denúncia enviada em maio pela ONG espanhola Defensores dos Prisioneiros Cubanos.

Deixar uma resposta