Tribunal absolve governador Carlos Moisés (SC), que retorna ao comando do governo.

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL) foi absolvido pelo Tribunal de Julgamento do impeachment, da acusação de crime de responsabilidade. A decisão final ocorreu em votação nesta sexta-feira (27) no plenário da Assembleia Legislativa, e agora Moisés volta ao cargo após um mês de afastamento.
Placar de 6 x 3
O placar da votação terminou em 6 votos a 3 pela absolvição do governador. Também houve uma abstenção, do deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB). A maioria dos desembargadores e deputados estaduais que formam o Tribunal de Julgamento entendeu que não houve crime de responsabilidade no aumento salarial concedido por Moisés aos procuradores do Estado.
Para que Moisés fosse condenado e perdesse em definitivo o cargo de governador, eram necessários, no mínimo, sete votos pela condenação (2/3 dos 10 membros do tribunal).
A vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido), já havia sido inocentada nesse processo de impeachment na primeira votação do tribunal, no mês passado, e o processo se encerra agora com a absolvição de ambos. Após Moisés ser notificado e voltar ao cargo de governador, Daniela retornará ao posto de vice.

Presidente da Alesc denunciado

O presidente da Assembleia Legislativa, Julio Garcia, que conduziu o processo legislativo, é terceiro na linha de sucessão do governo. Acabou não se beneficiando do processo que poderia torná-lo governador.

Julio Garcia está no centro da Operação Alcatraz, que investiga possíveis favorecimentos a políticos por meio de licitações que teriam sido fraudadas no governo do Estado. O presidente da Assembleia foi alvo de duas denúncias do Ministério Público Federal (MPF) nos últimos 30 dias. A primeira envolve mais cinco investigados e é relacionada ao crime de lavagem dedinheiro. A segunda acusa o deputado e outras 13 pessoas de corrupção, peculato, fraude em licitação e contrato subsequente, de acordo com a procuradoria.

Deixar uma resposta