Justiça revoga prisão domiciliar e tornozeleira do secretário Alberto Beltrame, na “Operação Alcool 70%” no Pará.

Foi revogada a medida que determinou prisão domiciliar e uso de tornozeleira pelo ex-secretário de Saúde Pública do Pará, o gaúcho Alberto Beltrame. Na última sexta-feira (18), ele foi alvo da Operação Álcool 70%, que investiga suspeita de fraudes em licitações, lavagem de dinheiro e corrupção na compra irregular de álcool em gel, através da secretaria que conduzia, a Sespa no Pará.

Beltrame já avia renunciado à presidência do Conselho Nacional dos Secretários da Saúde. 

Desde sexta, Beltrame estava impedido de sair de casa após as 20h e também era obrigado a usar tornozeleira eletrônica, entre outras restrições.
A operação que prendeu Beltrame foi deflagrada pelo Ministério Público do Pará e cumpriu mandados de busca e apreensão, prisão preventiva expedidos pela Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado, que foram executados em endereços localizados em Belém, São Paulo e Porto Alegre.

O empresário e presidente do Conselho Regional de Farmácia, Daniel Jackson Pinheiro Costa, foi preso preventivamente em sua residência. Ele é apontado como a pessoa que contratou a empresa para emitir nota fiscal da compra de álcool em gel.

Deixar uma resposta