Investigação sobre propina da Oi para Lulinha, filho de Lula, está parada em São Paulo

A investigação sobre os pagamentos milionários da Oi/Telemar para empresas ligadas a Fábio Luis Lula da Silva, o Lulinha, está parada desde abril . A investigação foi enviada para São Paulo após decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Trata-se da operação Mapa de Mina, ação da Polícia Federal de Curitiba deflagrada em dezembro de 2019.
Em março deste ano, o TRF-4 tirou o caso da força-tarefa paranaense e o enviou para a capital paulista. Em abril, a 10ª Vara Criminal em São Paulo recebeu a documentação sobre a investigação e, em maio, o Ministério Público Federal teve acesso aos autos.
Desde abril, todo o material incriminando o milionário Lulinha está dormindo numa das gavetas da força-tarefa do Ministério Publico Federal.

Deixar uma resposta