A relação entre o bloqueio pela Lava-Jato de R$ 237,3 milhões das contas de Cristiano Zanin, advogado de Lula e o fim da VARIG…

___________________________________________
Qual a relação entre o bloqueio das contas do escritório do advogado Cristiano Zanin e a crise que levou ao fim da VARIG? O advogado criticou a decisão do juiz Marcelo Bretas, responsável pela operação Lava Jato no Rio de Janeiro, que ordenou o bloqueio de até R$ 237,3 milhões em b suas contas, e de seu escritório de advocacia com o sogro Roberto Teixeira, compadre de Lula. A medida foi determinada no âmbito da Operação E$quema S, que investiga desvios de ao menos R$ 151 milhões da Fecomércio do Rio para bancas de advocacia acusadas da venda de infuência influência junto ao Supremo Tribunal Justiça e ao Tribunal de Contas da União. Zanin afirma que a decisão o magistrado é uma tentativa de intimidação por seu trabalho de desmonte dos abusos da “lava jato”.

Um velho conhecido da Varig
O advogado Roberto Teixeira, amigo e compadre de Lula, é um velho conhecido dos funcionários da extinta Varig. Na crise iniciada em 2002, depois que os governos Lula e Dilma negaram empréstimos do BNDES à empresa, enquanto liberavam bilhões para Cuba,Venezuela, Bolívia e Angola, a Varig, que era a maior empresa de aviação do Brasil, acabou quebrando em 2006. Foi vendida por US$ 24 milhões para o grupo do chinês Larchan e, com a ajuda de Teixeira, revendida meses depois à GOL por US$ 275 milhões. Teixeira ganhou US$ 5 milhões. E, segundo Paulo Antony, comandante da Varig por mais de 20 anos os 15 mil trabalhadores ficaram na rua, sem receber seus créditos trabalhistas.

Deixar uma resposta