Tite fêz CBF mudar estatuto para contratar seu filho como assessor

O técnico das seleção brasileira Tite, amigão de Lula e do PT, gosta de falar em ética e moral,  agora lança uma cortina de fumaça com o caso da participação do Brasil na Copa América, na verdade quer encobrir o caso de paternalismo que anda extrapolando os limites na seleção brasileira.

Adenor Bachi, o Tite, prova que é um paizão ao proteger os seus jogadores, mas também com o filho  Matheus Bachi que subiu de hierarquia na Seleção por ordem de Tite.

Pra poder atender o pedido de Tite de contratar o filho para o salario milionário de assessor técnico da Seleção, a CBF foi obrigada a mudar seus estatutos.

Tite é aquele mesmo sujeito que gosta de fazer discursos pregando ética e moral. Para os outros, naturalmente.

Leave a Reply