Como funciona o STF: o ex-guerrilheiro José Serra é amigo íntimo de Gilmar Mendes; o senador Flavio Bolsonaro não tem amigos no STF.

“Quem tem amigo não morre pagão”, diz o velho ditado.  E, o tempo se encarregou de mostrar que no STF onde ninguém se dá por impedido para julgar amigos, isso é verdadeiro. O STF suspendeu todas as investigações contra o Senador José Serra e manteve procedimentos semelhantes contra o senador Flávio Bolsonaro, examinando casos anteriores ao atual mandato de ambos. Sabe-se agora, que há um motivo forte para Serra ter sido blindado até aqui: o surgimento de e-mails contendo conversas íntimas do ministro Gilmar Mendes com o senador José Serra, denunciado pelo ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis de receber em nome do PSDB, um total de R$ 52,4 milhões, entre 2002 e 2004. Serra é um ex-guerrilheiro,e um senador que encerra a vida pública, milionário.

Gilmar Mendes, mesmo suspeito, julgou e beneficiou o amigo Serra

O caso da amizade íntima de Gilmar Mendes com José Serra é tão explosivo, que no dia 29 de julho, o ministro Dias Toffoli suspendeu duas investigações sobre José Serra e determinou que todo o material colhido pelos procuradores contendo s conversas íntimas de Gilmar Mendes com o senador José Serra fosse lacrado e protegido de vazamentos. O fato gravíssimo em tudo isso é que, mesmo sendo suspeito para julgar o caso envolvendo o amigo íntimo José Serra, Gilmar Mendes, já beneficiou o Senador no STF duas vezes nas últimas semanas.

 

Deixar uma resposta