PGR QUESTIONA INVESTIGAÇÕES

O procurador Augusto Aras está convicto de que pode existir uma “verdade real” diferente daquela que constou no processo. Segundo ele, “ainda é tempo de a Polícia Federal e de o Ministério Público Federal, atuando em conjunto, buscarem a verdade real do atentado”.

Deixar uma resposta