PF nas ruas investiga propina no governo Witzel (RJ)

Uma mega operação do Operação do Ministério Público Federal e da Polícia Federal cumpre dois mandados de prisão, além de buscas e apreensões contra os envolvidos em esquema.

Investigações sustentam que a liberação de restos a pagar de credores do governo fluminense, na gestão de Wilson Witzel, era foco de corrupção. Em operação iniciada na manhã desta terça-feira, com a autorização do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) cumprem dois mandados de prisão, além de buscas e apreensões em endereços diversos, contra os envolvidos em esquema que liberou entre 2019 e 2020 quase 280 milhões em restos a pagar à Organização Social Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ), que administra hospitais, UPAS e leitos de UTI da rede estadual de saúde. Em troca, a entidade teria pago R$ 53 milhões em propina.

Deixar uma resposta