OUTRO CASO DE PAGAMENTO DE FÉRIAS

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça, considerou o fato extremamente grave, e pediu à Secretaria de Auditoria do Conselho Nacional de Justiça uma nova conferência dos cálculos de verba indenizatória de férias a desembargadores e juízes, informados pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, onde magistrados receberam rendimentos líquidos que chegam a até R$ 853 mil, resultado de até 23 períodos de férias acumulados nos últimos 25 anos.

Deixar uma resposta