OUTRA FRENTE: O REAJUSTE DA MAGISTRATURA

Ao mesmo tempo, o governo ingressou no STF com ação destinada a barrar o reajuste automático, aprovado por norma administrativa, de 16,8% nos subsídios de magistrados, membros do Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensores Públicos. O ministro Luiz Fux negou o pedido liminar de suspensão do pagamento. O governo gaúcho argumenta que o reajuste aumentará em R$ 95 milhões as despesas anuais que, trazidas para o teto dos servidores do próprio Executivo, aumenta a conta para mais de R$ 150 milhões.

Deixar uma resposta