Morre ex-executiva do laboratório Merck que denunciava riscos de vacinas

Brandy Vaughan, 45 anos, uma ex-executiva de vendas da empresa farmacêutica Merck, foi encontrada morta por seu filho de nove anos no dia 8 de dezembro, no Condado de Santa Bárbara (EUA).

Nesta terça-feira (29), circula a informação que ela poderia ter sido morta por combater a indústria farmacêutica e os riscos reais gerados pelos medicamentos e vacinas.

De acordo com o Children’s Health Defense, Vaughan teria morrido de “complicações da vesícula biliar”, embora a fonte do relatório não tenha sido citada, nem compartilhado a causa específica das complicações.

Riscos

Quando trabalhava na indústria farmacêutica, Brandy vendeu Vioxx, um analgésico que dobrou o risco de derrame e ataques cardíacos, de acordo com sua biografia do Learn the Risk. O analgésico foi posteriormente retirado do mercado.

“Com essa experiência, percebi que só porque algo está no mercado não significa que seja seguro”, disse Brandy.

Deixar uma resposta