MARIDO DE GLEISI TAMBÉM PARTICIPOU DO ESQUEMA

A delação do executivo Renato Vale, ex-CEO da CCR, confirma as informações fornecidas por Assad e mostra com documentos, que em 2010 Paulo Bernardo, marido de Gleisi, enviou seu chefe de gabinete para uma reunião com José Roberto Meirelles, diretor do grupo, com quem teria acertado o repasse de R$ 3 milhões. Ernesto Kugler Rodrigues foi quem realizou as entregas da propina. Ele também é citado por outros delatores da Lava Jato do Paraná.

Deixar uma resposta