Cientistas desconfiam dos dados da vacina chinesa: eficácia chega a apenas 63% em duas doses.

Os dados de eficácia da CoronaVac apresentados nesta quinta-feira pelo Instituto Butantan não seguiram os mesmos protocolos das demais vacinas já existentes contra a Covid-19.

De acordo com a microbiologista Natalia Pasternak, presidente do Instituto Questão de Ciência, pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e colunista do jornal O GLOBO, o que foi demonstrado foram apenas os desfechos secundários e não os primários, como os demais imunizantes anunciaram.
A pesquisadora fez uma conta rápida a partir de informações dadas por Dimas Covas após questionamentos feitos pela imprensa na entrevista coletiva, e chegou a um resultado de aproximadamente 63% de eficácia.

— Uma eficácia de 63% é muito boa, não sei por que ele (Dimas Covas) não anunciou esse número oficialmente. Mas ele disse que era um número de memória, então não podemos dar certeza.

Deixar uma resposta