23/11/2016 Carrossel de informações

PDT dividido sobre início da campanha de 2018

O PDT gaúcho está dividido sobre a campanha eleitoral de 2018,quando o partido deverá apresentar candidaturas ao governo do estado – Jairo Jorge, ex-PT – e ao senado,com o prefeito de Porto Alegre José Fortunati. Ontem, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, tradicional aliado do Partido dos Trabalhadores, insistiu em entrevistas à imprensa, que o PDT precisa desvincular logo a sua imagem do governo de José Ivo Sartori, onde ocupa secretarias,e dezenas de cargos de confiança. Na bancada estadual a posição enfrenta resistências. A decisão será tomada em reunião do diretório regional do PDT que acontece dia 5 de dezembro.

Pozzobon em São Paulo

Prefeito eleito de Santa Maria,o deputado Jorge Pozzobon (PSDB)esteve ontem em São Paulo para agradecer ao governador geraldo Alckmin, o apoio que recebeu na campanha eleitoral. O governador de São Paulo, amigo da ex-governadora Yeda Crusius – que tomará posse na Câmara Federal em janeiro – visitou Santa Maria no momento mais agudo da última campanha eleitoral, para apoiar a campanha de Pozzobon. Ontem, Pozzobon a minuta de um termo de cooperação entre a cidade de Santa Maria e o governo de São Paulo. À tarde, o futuro prefeito participou do encontro do Movimento Brasil Competitivo onde se manifestou sobre algumas medidas que adorará no início do seu governo,como a extinção de secretarias, revisão de contratos com prestadores de serviços,e de aluguéis de prédios usados pelo município. O foco,segundo Pozzobon, é direcionar o maior volume possível de recursos para a área da saúde.

Aod Cunha e o ajuste fiscal

Protagonista do histórico ajuste fiscal realizado durante o governo de Yerda Crusius, Aoid Cunha comentou ontem que “foi tão difícil fazer o ajuste fiscal no Rio Grande do Sul e foi tão fácil destrui-lo. Fica a lição: assim como o controle da inflação, o equilíbrio fiscal deve ser um valor da sociedade, independente de partidos. Que o Rio Grande do Sul volte a se equilibrar,e que saiba manter essa conquista”.

Ana Amélia a favor da cláusula de barreira

A senadora gaúcha Ana Amélia deixou claro ontem que “votei a favor das aprovação do projeto que institui a clausula de barreira para reduzir o excessivo número de partidos políticos e contribuir para a moralização do sistema político”. Ana Amélia justifica que “partidos não podem ser criados para servir de balcão de negócios, usando dinheiro do fundo partidário, que é público,quando faltam recursos para a saúde, a educação e segurança, ou para vender espaço no horário eleitoral”.

Deixar uma resposta