Agora, TSE diz que “falta de calibragem” causou o vexame do atraso na apuração dos votos.

O Tribunal Superior Eleitoral afirmou em nota, que o vexame do atraso na totalização e divulgação dos votos não deve se repetir no segundo turno das eleições, marcado para 29 de novembro.

O  vexame nacional marcou a primeira eleição sob o comando do ministro Luis Roberto Barroso no TSE.

A conclusão está em uma nota técnica divulgada pelo tribunal, na qual a Corte também garante que o problema está sendo resolvido.

“Equipes técnicas do TSE e da Oracle entendem que a falha no plano de execução no primeiro turno não se repetirá no segundo turno, em 29 de novembro, tendo em vista que o otimizador já está calibrado para processar um volume maior de informações de forma célere”, diz o relatório.

No domingo (15), o inédito atraso de três horas na divulgação dos resultados foi provocado pela falta de calibragem na inteligência artificial de um supercomputador, operado pela empresa de tecnologia Oracle. Diante do problema na leitura dos dados, um dos oito processadores travou e a totalização apresentou lentidão.

Deixar uma resposta