Gilmar Mendes e Lewandowski livram Lula da delação de Palocci no STF.

Aproveitando o tumulto da epidemia,os  ministros do STF se aliam às teses da defesa de Lula, e vão extinguindo processos que incriminam o ex-presidente Lula que, como todos sabem, só não está na cadeia, graças aos malabarismos jurídicos dos atuais ministros da Corte Suprema. Desta vez,a já famosa 2ª Turma do STF ao examinar a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, definiu que este documento não poderá ser usado na ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que tramita na 13ª Vara Federal de Curitiba. Foram decisivos os votos de Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, devido às ausências de Celso de Mello e Cármen Lúcia. Ambos conseguiram a proeza de faltarem a uma sessão remota, via computador, abrido caminho para ue Gilmar e Lewandowski comandassem as ações. Assim, dos cinco ministros que compõem a 2a. Turma, ,só tres votaram, e o placar foi de 2 a 1 pró Lula,(vencido o ministro Edson Fachin) .