Bolsonaro comemora independência dos EUA, em almoço com embaixador

O presidente Jair Bolsonaro almoçou neste sábado na residência do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, na capital federal, em um evento de comemoração de 244 anos da independência americana, celebrada em 4 de julho.
Também participam da celebração os ministros Braga Netto (Casa Civil), Fernando Azevedo (Defesa) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

Pioram indicadores de propagação da Covid-19 e da ocupação de leitos no RS

Com a piora nos indicadores de propagação da Covid-19 e da ocupação de leitos, o mapa do Rio Grande do Sul pode ficar ainda mais vermelho. A atualização preliminar da 9ª rodada do Distanciamento Controlado indica que 10 regiões estão com risco alto, por isso, receberam bandeira vermelha. Embora representem metade das 20 regiões usadas no modelo, somam 73,4% da população gaúcha (8.310.854 habitantes). Na rodada anterior, eram seis regiões, que representavam 46,1% dos gaúchos. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (6/7).

As outras 10 regiões ficaram com laranja (risco médio). O Estado segue sem registro de bandeira preta (risco altíssimo), mas, pela primeira vez, nenhuma região foi classificada em amarelo (risco baixo).

O mapa preliminar da 9ª rodada foi divulgado pelo governo no fim da tarde desta sexta-feira (3/7) e está disponível em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br. No prazo de 36 horas após a publicação do mapa preliminar, que se encerra às 6h de domingo (5/7), os municípios que quiserem apresentar recursos sobre as classificações podem preencher o formulário neste link: https://forms.gle/TsRhgUKJhQSJUP5T9

Osmar Terra diz que “a quarentena e o lockdown fracassaram”.

O médico e deputado federal Osmar Terra (MDB) comenta declaração do governador do Rio Grande do Sul Eduardo de Leite, preocupado com o aumento de casos , e os próximos 15 dias em relação aos contágios do coronavirus. “Há 90 dias o Governador vem dizendo isso; a quarentena e o lockdown fracassaram no Rio Grande do Sul”. Para Terra, “o estado fracassou em prevenir o surto da epidemia. Tem que mudar o discurso. Vamos substituir a quarentena pela testagem maciça da população,como fez a Coreia com muito sucesso”.

Quando termina a epidemia?

Segundo o deputado gaúcho, “existe um debate importante nesta questão da epidemia do Coronavirus, que é sobre que momento estamos,e quando é que ela termina. E eu sempre disse,desde o inicio, que esta epidemia ia ser como as outras todas, com uma curva desde o início com aumento rápido de casos, até começar a terminar o número de casos, e uma curva de 13 ou 14 semanas. Todas são assim. A do H1N1 foi assim,a da Gripe Espanhola foi assim, a Gripe Asiática foi assim, a Gripe Hong Kong foi assim,e a própria epidemia do Coronavirus na China, uma curva com 11 semanas, inclusive,de duração”.

Caindo casos no País

Terra comenta que “no Ceará,no Rio de Janeiro, a própria Rede Globo relata a queda do número de casos. Isso também está acontecendo em Manaus, Belém, São Luis do Maranhão, em Pernambuco,está diminuindo o número de casos rapidamente. No Norte-Nordeste,no Rio e São Pulo, temos já uma visão clara da queda da curva, da epidemia diminuindo rapidamente. Isso pode levar até mais uma semana ou duas, mas está acontecendo”.

E no Sul,o que acontece?

Em relação ao Sul do País, Osmar Terra tem um explicação: “ainda existe um brote epidêmico localizado na Região Sul. Em função do inverno, circulou muito pouco virus na região Sul e na região centro-Oeste também. Em todo esse tempo houve um circulação muito pequena do virus, e agora com o frio, tem aumentado o número de casos. Não vai ser um número como foi em São Paulo, no Rio, no Nordeste ou Norte do país, mas vai ter um aumento de casos temporário,e depois vai refluir também, pois nem toda população é suscetivel ao virus.” Ele aponta estudos aprofundados feitos em diversos países na Europa, indicando que “mais da metade da população tem imunidade natural,não pega esse virus. Aí a outra parte da população que pega esse virus, quando chega a 50% de uma determinada localidade que tenha a epidemia,ela para de crescer, começa a cair,e termina a epidemia.”

Parar de assustar a população

Osmar Terra critica o fato de que “o tempo todo se assustou muito a população sem explicar nada. Eu tenho procurado informar para não assustar. Temos que substituir todos estes programas, de flexibilização, bandeiras para tudo que é lado, por programas de testagem e cuidados indivduais,protocolos no comércio,na indústria, na escola e na casa, e com isso nós poderemos voltar a uma vida normal.”