Em reuniao com prefeitos da fronteira oeste,governador gaúcho valoriza ações dos municipios.

O governador Eduardo Leite se reuniu, na tarde de segunda-feira (25/5), via videoconferência, com prefeitos da região da Fronteira Oeste do Estado. Eles apresentaram demandas relacionadas à saúde, segurança e educação.

Leite lembrou que, neste momento de enfrentamento à pandemia de coronavírus, o papel do prefeito é fundamental. “É a autoridade local que acompanha a rotina das comunidades e sabe como tomar providências para que a população esteja protegida. Como não há como imunizarmos as pessoas, é necessário o cumprimento de regras e de critérios até que tenhamos uma vacina”, disse o governador.

Porto do Rio Grande tem aumento expressivo no volume de cargas

Uma boa noticia n área de logistica do Rio Grande do Sul.  transporte de cargas nos três portos do Estado – Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande – registrou crescimento de 4,89% em volume de janeiro a abril deste ano comparado com igual período de 2019. A movimentação somou 11,9 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados pela Superintendência dos Portos do RS nesta terça-feira (26/5).

O resultado positivo foi puxado pelas exportações de soja no porto do Rio Grande, que teve aumento de 67,42% em relação ao mesmo quadrimestre do ano passado, alcançando pouco mais de 3 milhões de toneladas. Somente em abril foram embarcadas cerca de 1,6 milhão de toneladas do grão.

No Amazonas continua a  investigação da compra de respiradores na casa de vinhos importados.

Continua a investigação sobre a compra pelo governador Wilson Lima (PSL)  do Amazonas por R$ 2,9 milhões a uma loja de vinhos, por 28 ventiladores pulmonares para tratar de infectados pelo novo coronavírus. O valor unitário equivale a até quatro vezes o preço do aparelho visto em lojas no Brasil e no exterior, e os equipamentos são considerados “inadequados” para pacientes de covid-19, segundo o Conselho Regional de Medicina do Amazonas (Cremam). A compra foi feita em 8 de abril, com dispensa de licitação, e foi questionada pelo Ministério Público de Contas. Foram comprados 24 ventiladores da marca Resmed por R$ 104,4 mil cada. O mesmo aparelho é vendido por cerca de R$ 25 mil por revendedores nacionais e do exterior.