COMANDANTE DO EXÉRCITO CRITICA “TRESLOUCADOS” QUE PEDEM INTERVENÇÃO MILITAR

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, deixa claro: há “chance zero” de setores das Forças Armadas, principalmente da ativa, mas também da reserva, se encantarem com a volta dos militares ao poder. Ontemo, comandante não deixou dúvidas quanto ao pensamento dominante na força: “Esses tresloucados, esses malucos vêm procurar a gente aqui e perguntam: ‘Até quando as Forças Armadas vão deixar o País afundando? Cadê a responsabilidade das Forças Armadas?’” E o que ele responde? “Eu respondo com o artigo 142 da Constituição. Está tudo ali. Ponto”.

LEMBRANDO 1964

O general Villas Boas admite ser esta, uma versão atualizada das “vivandeiras alvoroçadas” que, segundo o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, primeiro presidente do regime militar, batiam às portas dos quartéis provocando “extravagâncias do Poder militar”, ou praticamente exigindo o golpe de 1964, que seria temporário e acabou submetendo o País a 21 anos de ditadura. “Nós aprendemos a lição. Estamos escaldados”, diz o general Villas Boas.

EMPRESAS JÁ DEVEM MAIS DE R$ 300 MILHÕES EM MULTAS DA GREVE

A ação da Polícia Federal ontem em todo o país, os mandados cumpridos no litoral gaúcho e na Serra, e os processos do STF confirmaram as suspeitas da Polícia Federal de que várias empresas transportadoras estão por trás da greve dos caminhoneiros. Na prática,são estas empresas as que mais têm a ganhar com a redução do preço do diesel e dos pedágios para caminhões. É bom lembar: está em vigencia a decisáo do ministro Alexandre de Moraes determinando que, em 15 dias, mais de 100 empresas transportadoras paguem multas que somam R$ 300 milhões, em razão da greve dos caminhoneiros. Essas empresas descumpriram decisão liminar do próprio ministro do STF que determinou a liberação das estradas bloqueadas durante a greve.

PARA O MP, ” INTERVENÇÃO”É CASO DE SEGURANÇA NACIONAL

O MP faz uma leitura rigorosa sobre a participação de empresários na paralisação dos caminhoneiros. O MP lembra que é crime tentar mudar o regime político vigente, segundo a Lei da Segurança Nacional. Os atos para pedir intervenção militar, não só por caminhoneiros, estão sendo identificados na sua origem, e enquadrados na Lei de Segurança Nacional.

OUTRA CONTA PARA PAGAR

Apenas para lembrar. Com a decisão judicial de manter os servidores à disposição do ex-presidente Lula,preso em curitiba, há um gasto de R$ 50, 2 mil no mês passado. São gastos com combustível, mais R$ 4.200 desembolsados com diárias e R$ 1.700 com passagens. São 8 assessores do petista pagos pelos cofres públicos,e que receberam, ao todo, R$ 40.500 em salários. Este mes, tem mais.

ALCKMIN ADMITE MENOR APOIO NO SUL

Além de não cogitar desistir da candidatura,o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin acredita que esta campanha terá um formato diferente, exigindo um percentual menor de otos no primeiro turno. Ele disse na quarta-feira em Novo Hamburgo,ao participar do debate promovido pela Associação Comercial e Industrial, que “não precisamos de 40% dos votos como em eleições anteriores. Menos de 20% já dá. É outra realidade. O cenário hoje está mais fragmentado”.