A GREVE DOS PETROLEIROS: REBELDIA SEM CAUSA

A Advocacia Geral da União e a direção da Petrobrás apontam,na ação apresentada ao Tribunal Superior do Ttrabalho, que é puramente política a pauta da greve anunciada no sábado pela Federação Única dos Petroleiros, com previsão de durar 72 horas. A lista de reinvidicações inclui a redução dos preços do gás de cozinha e dos combustíveis e a saída imediata do atual presidente da Petrobras, Pedro Parente. O movimento também é contrário a uma possível privatização da empresa. Só faltou os chavões “Fora Temer” e “Lula Inocente”.

GREVE PARA TESTES

Ontem em Brasília, os comentários indicavam que a greve de 72 horas convocada para começar hoje pelos verdadeiros donos e beneficiários da Petrobrás, os petroleiros, vai funcionar como test drive, para testar a reação da própria categoria,e da Jutiça do Trabalho. Se colar, será ampliada além das 72 horas inicialmente previstas.

ALGUÉM VAI PAGAR ESTA CONTA

A BRF começou ontem a doar 52 toneladas de alimentos que estavam em duas carretas retidas em bloqueios em Santa Catarina e Goiás. Como havia o risco das carretas ficarem sem combustível para manter a refrigeração necessária dos produtos, os produtos foram doados para duas cidades. Futuramente, esta e toda a conta será repassada a todos os contribuintes, através de um natural aumento dos preços destes produtos.

NO GABINETE DA CRISE

Tal como numa recuperação de faltas que normalmente se aplica a alunos ou professores faltosos, o presidente da Assembleia Legislativa, Marlon Santos, e outros 17 deputados estiveram ontem no chamado Gabinete da Crise, instalado pelo governo do estado, para tomarem conhecimento dos efeitos da paralisação dos caminhoneiros no estado. Foi a atividade encontrada pelo legislativo para fazer una lição de casa, e substituir a realização de sessão deliberativa esta semana. E a vida segue.

COMANDANTE MILITAR DO SUL: “HORA DE DAR UM BASTA”

Comandante Militar do Sul,o general de Exército Geraldo Antônio Miotto, que opera com 54 mil homens no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, avaliou ontem na reunião do gabinete instalado pelo governo do Estado, que o momento é de dar um basta frente às paralisações que prejudicam a sociedade. “Chegou o momento do limite do caos, e quem está sofrendo com isso é o pequeno produtor, que não consegue escoar a produção”.

GREVE TRAZ PREJUÍZO DE R$ 50 MILHÕES PARA A CAPITAL

O secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto estima a greve dos caminhoneiros deverá impactar negativamente as finanças públicas de Porto Alegre. Ao contabilizar ontem na Câmara Municipal somente a primeira semana de paralisação, o prejuízo aos cofres públicos corresponderá a, aproximadamente, um dia do total da arrecadação anual da Prefeitura – “em torno de R$ 50 milhões”, avalia.

RS RECEBE RECURSOS DO MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO

O Ministério da Integração Nacional autorizou ontem, a liberação de R$ 3,9 milhões para ações emergenciais em municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Piauí. O ato de recursos da Defesa Civil Nacional foi publicado em portarias no Diário Oficial da União. Os valores serão aplicados em medidas de prevenção de riscos de desastres, socorro e assistência à população e na recuperação de áreas atingidas por desastres naturais. As prefeituras de Tunas, Cruzaltense e Ibarama, no Rio Grande do Sul, vão receber cerca de R$ 1,7 milhão para obras de reconstrução de sete pontes. E ainda na região Sul do país.