O GOVERNO ESTÁ CUMPRINDO 100% DO ACORDO,AFIRMA PADILHA

O governo federal andou bem ao autorizar a atuação do Exército em Garantia da Lei e da Ordem na greve dos caminhoneiros. A medida, só pode ser aplicada exclusivamente por ordem expressa da Presidência da República e ocorre nos casos em que há esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, em situações graves de perturbação da ordem, como neste caso da greve dos caminhoneiros. O governador gaúcho José Ivo Sartori,em sintonia com os movimentos do governo federal, determinou a criação de um gabinete da crise,coordenado pelo vice-governador José Paulo Cairoli, para a adoção de medidas de apoio com o objetivo de diluir a greve dos caminhoneiros no Rio Grande do Sul.

ACORDO ENVOLVE COMPROMISSO RECÍPROCO

O governo acolheu pelo menos 14 ítens da pauta dos caminhoneiros na noite da última quinta-feira,e a contrapártida acertada seria o fim da greve. Em 30 dias,o governmo implementria as medidas acordadas. O descumprimento pelos caminhoneiros mereceu um recado do ministro da Casa civil Eliseu Padilha: ” o governo está cumprindo 100% do acordo, e esperamos que os caminhoneiros também o cumpram”. Como não cumpriram,restou ao governo aplicar a medida prevista em lei utilizando as forças de segurança .

BLOQUEIO DE CAMINHÕES POR EMPRESÁRIOS

O fator decisivo para o presidente Michel Temer decidir pela intervenção das Forças Armadas para dissolver a greve, foi a informação trazida pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Ele trouxe dados com a suspeita de envolvimento de empresários no movimento, com bloqueio de caminhões por satélites, e defendeu o emprego das Forças Armadas para restabelecer no país o clima de normalidade.